VISITAS DE ESTUDO

1. "Espaços verdes e saúde numa freguesia de Lisboa"

(Jeanna Cunha, IGOT, ULisboa)

Os espaços verdes urbanos, resultantes de uma evolução histórica diferenciada, apresentam efeitos benéficos, com maior ou menor influência, consoante a sua inserção na cidade. Estes assumem um papel importante na ligação dos vários espaços diferenciados entre si e na amenização dos ambientes. Os decréscimos destes espaços associado aos ritmos acelerados de crescimento urbano podem refletir-se em consequências negativas para a população, comprometendo a sua saúde física e mental.  

Não há dúvida que a saúde de cada indivíduo é influenciada, positiva ou negativamente, pela qualidade ambiental; ou seja, pela perceção estruturada dos elementos que constituem o meio que o rodeia e o orienta – das oportunidades às opções. Diversas políticas de saúde pública e planeamento urbano têm vindo a demonstrar a importância de ter espaços verdes próximos a locais de vivência das famílias (residência, trabalho, outros) e a associação da proximidade geográfica a uma maior utilização.

O objetivo desta visita é dar a conhecer a diversidade dos espaços verdes urbanos de proximidade em Benfica, Lisboa, refletindo e discutindo e sua importância para o bem-estar da população e a sustentabilidade urbana com vistas a cidades mais saudáveis.

Quando: 13/09 (terça-feira).

Duração: das 10:00 às 12:00 hrs.

Modalidade: apenas presencial.

Valor: gratuito (incluído no valor pago na inscrição do Congresso).

Inscrição: obrigatória mediante indicação no formulário de inscrição do Congresso. Limitadas às vagas disponíveis e sujeito a confirmação da organização.

Certificado: todos os participantes que realizarem o workshop receberão certificado de participação.

 

 

 

 

2. "Hortas urbanas, sustentabilidade e planeamento em Lisboa" 

(Prof. Eduardo Jonas da Costa Gomes, CEG - IGOT, ULisboa)

A prática da agricultura na cidade de Lisboa remonta à antiguidade. Orlando Ribeiro ou Gonçalo Ribeiro Telles referiam a coexistência de hortas, pomares, vinhas, olivais e de áreas edificadas na cidade de Lisboa. A fertilidade dos solos, a existência de água e de um clima ameno, assim como o êxodo rural e o baixo rendimento de uma parte da população, explicam esta persistência, mesmo no contexto da forte urbanização do último quarto do século XX.

A importância da agricultura está hoje reforçada na estratégia ambiental da cidade, e grande parte dos espaços agrícolas estão integrados no planeamento urbano da cidade de Lisboa.

O objetivo desta visita é dar a conhecer a diversidade destes espaços, discutindo o papel da agricultura e da alimentação de proximidade para o desenvolvimento urbano sustentável.

  • Parque Vinícola de Lisboa

O Parque Vinícola de Lisboa tem cerca de 2 hectares e tem como objetivo promover a cultura vitícola de Lisboa como região produtora de vinhos.

Junto à vinha existe um parque Hortícola com 39 talhões.

Web: https://informacoeseservicos.lisboa.pt/contactos/diretorio-da-cidade/parque-vinicola-de-lisboa

 

  • Jardim e Parque Hortícola Aquilino Ribeiro Machado

O Jardim e Parque Hortícola Aquilino Ribeiro Machado foi inaugurado em 2017 e localiza-se na freguesia de Alvalade. Possui vários equipamentos e uma área de produção hortícola com 33 talhões.

Web: https://informacoeseservicos.lisboa.pt/contactos/diretorio-da-cidade/default-40b7bbd1c3

 

  • Bairro de Alvalade

A construção do Bairro de Alvalade (plano de urbanização de 1945) é um exemplo da adaptação e aplicação do urbanismo funcional, isto é, da separação de funções: residencial, com casas de renda económica; de trabalho e de lazer. Esta separação funcional conjuga-se com outros modelos de urbanismo como a cidade de proximidade e a cidade-jardim, privilegiando-se a deslocação pedonal aos equipamentos (escola). Alvalade é considerada um símbolo da Lisboa Moderna, e um exemplo de planeamento urbanístico. O início do século XXI traz a requalificação do espaço público, com intervenções em espaços existentes, como o jardim do Campo Grande e a Quinta do Narigão, e a criação de novas infraestruturas, como ciclovias, o parque canino e o parque aventura.

Web: https://www.jf-alvalade.pt/alvalade/historia/

Quando: 14/09 (quarta-feira).

Duração: das 10:00 às 12:00 hrs.

Modalidade: apenas presencial.

Valor: gratuito (incluído no valor pago na inscrição do Congresso).

Inscrição: obrigatória mediante indicação no formulário de inscrição do Congresso. Limitadas às vagas disponíveis e sujeito a confirmação da organização.

Certificado: todos os participantes que realizarem o workshop receberão certificado de participação.

JeannaPB.jpg

JEANNA CUNHA

 

 

É graduada em arquiteta e urbanista pela UniRitter e mestre em ordenamento do território e urbanismo pelo IGOT. As suas áreas de interesse são espaços verdes urbanos, cidades saudáveis e planeamento urbano. 

Jonas.jpg

EDUARDO JONAS DA COSTA GOMES 

Eduardo Gomes é Investigador Integrado Doutorado no Centro de Estudos Geográficos/ Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. Nos últimos anos tem desenvolvido a sua investigação na área da modelação e simulação colaborativa para avaliar o futuro das alterações de uso e ocupação do solo.